Ariel, uma Pug na China

A Ariel é uma cachorrinha da raça pug de dois e meio com um olhar tão doce, que a Rebecca Ceccarelli não resistiu ao visitar um abrigo e no mesmo dia a levou para casa, principalmente depois de ver as condições em que ela estava. Leiam abaixo como começou a história delas lá na China!

image1

MB: Onde vocês moram?
RC: Nós moramos na China, na cidade de Changzhou, província de Jiangsu.

MB: Há quanto tempo você mora no novo país?
RC: Esse ano completo 5 anos na China.

MB: Como começou a história de vocês?
RC: Eu sempre tive cachorros no Brasil, sempre fui “cachorreira”, todos os cachorros de rua que encontrava eu levava para minha casa, cheguei a ter 22 cachorros em casa. Quando mudamos para China eu queria muito um cachorro, infelizmente não consegui trazer os meus, por questão de grana e burocracia. Tenho seis no Brasil, na casa dos meus pais. Então um dia falei para o meu marido que queria uma cadelinha. Ele sempre foi apaixonado por pug e eu gostava de vira-latas haha, na verdade qualquer raça que encontrava eu gostava, mas no Brasil naquela época (há quase cinco anos atrás, hoje já não faço ideia) você não encontrava com facilidade cachorro de raça abandonado, vira-latas tem de monte. Meu marido perguntou para um amigo chinês onde existiam abrigos de animais, o amigo chinês nos levou a um sítio e chegando lá encontrei uma quantidade enorme de cães, de todas as raças possíveis. Mas eram para vender, não para adotar. Eu não queria comprar, então falei para o meu marido que nós só iríamos olhar e ir embora. Quando fui ver os filhotes só tinha a Ariel numa gaiola podrinha, com um pano bem sujinho e ela estava bem apavorada. Com cara de me tire daqui pelo amor de Deus. Os cães em volta dela eram enormes e ela era um ratinho, estava suja, comendo uma lavagem nojenta e com muito medo, fiquei com tanta dó, me deu um desespero. Olhei para meu marido e ele também estava com cara de desespero e então a escolhemos, mas não pagamos por ela – nosso amigo chinês quis nos dar de presente. Saímos de lá e a levamos para tomar banho porque ela estava muito fedida. Dois dias depois levamos ao veterinário e descobrimos que ela estava com infecção nas vias respiratórias e anemia profunda. Com um tratamento intenso de vitaminas e antibióticos conseguimos curá-la.

MB: Essa é a primeira vez que você tem um cachorro da raça Pug? Se sim, como está sendo a experiência?
RC: Sim, sempre tive vira-latas e pastor alemão. A experiência é maravilhosa, ela é um amor, bem quietinha, não destrói nada, não come fio, chinelo hahaha. Ela é bem dengosa e adora ficar grudada na gente. Não pode ouvir as palavras banana, cenoura e passear que ela fica doida, temos que falar essas palavras em chinês, porque em português ela começa a rodopiar igual ao demônio da Tasmânia, sabe?

ariel2
Ariel já na casa nova e com uma caminha para chamar de sua

MB: Até aqui alguma curiosidade ou situação inesperada?
RC: Não, é uma raça bem tranquila. Ela é bem boazinha e não dá trabalho.

MB: Quais diferenças você nota em relação a vida com bichos no Brasil e no país onde está? Veterinário, alimentação. Há muitos animais abandonados?
RC: Ver animais abandonados no centro e bairros nobres é muito difícil, não digo que não tem, mas é bem difícil. Se você for para a área mais afastada do centro, mais rural, aí sim você vê cães abandonados. Às vezes você vê um perdido, mas logo alguém pega, leva no veterinário e pelo chip ou na coleira descobrem de quem é ou fazem campanha pelo wechat (WhatsApp chinês) e encontram o dono ou um novo dono. Aqui gatos abandonados são muitos, em condomínios você encontra milhares, mas os condomínios não os expulsam porque de certa forma, eles expulsam os ratos. E como todos os condomínios são muito arborizados eles precisam dos gatos para evitá-los. A maioria dos chineses tratam os cachorros melhor do que gente, eles raramente usam coleira. Chinês adora tosar, pintar e colocar unhas postiças nos cachorros. A grande maioria aqui é poodle, já que é a raça mais barata para comprar, em torno de R$500,00. O pug está na faixa de R$3000. Para castrar um animal também custa bem caro, a fêmea por volta de R$900 e o macho um pouco menos. Raramente você vê um chinês com um vira-lata, eles adoram raças minis/pequenas e golden retriever. Sobre alimentação é a mesma do Brasil, aqui só tem uma quantidade maior de marcas de comida, mas é a mesma coisa.

Ariel2
Ariel com a família na China ❤ 

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s