Yuki, um gatinho muito especial

Adotar um bicho especial não é para todo mundo. E ok, muitos se preocupam com os cuidados extras e tem receio de como seria essa nova dinâmica. O fato é que todos merecem uma chance e cuidar de um bicho com necessidades especiais pode ser bem mais tranquilo do que imaginamos. A Adriana França contou para o Manual que adotou o gatinho Yuki há pouco mais de três meses justamente por conta da situação dele.

 

IMG_0482
Yuki e Adriana

“Já tinha três gatos e não tinha planos de adotar mais. Conversamos e tomamos uma decisão familiar de adotar o Yuki em função da situação dele (surdo e FELV*). Esse foi o principal motivo para adotá-lo. Ao percebermos que era surdo achamos melhor que ele ficasse conosco até que encontrássemos um adotante. Levamos à veterinária para verificar a saúde em geral e vaciná-lo. Quando recebemos o resultado positivo para a FELV conversamos e decidimos adotá-lo, pois sabíamos que seria muito difícil ele encontrar outra família e que suas chances de sobrevivência nas ruas seriam praticamente nulas. Conversamos com a veterinária e mesmo sabendo que a vacina contra a FELV não é 100% eficaz, o que traria um certo risco para nossos gatos, resolvemos dar uma chance a ele.”

O acaso foi amigo do Yuki no encontro com a Adriana e o levou à família certa. “Ele chegou até mim, veio correndo na minha direção e miando muito, na garagem do meu prédio. Estava sujo e daí resolvi juntamente com minha filha levá-lo para casa para dar comida e água. Fiquei com receio de deixá-lo na garagem para buscar comida e dai não encontrá-lo mais.” ❤ ❤ ❤

 

IMG_0489
Nova casa e uma nova história para o Yuki

Bom, com outros três gatos em casa, como foi a adaptação dele? E os cuidados no dia-a-dia? “Logo que chegou deixamos o Yuki isolado dos outros gatos pois não sabíamos se ele tinha pulgas ou alguma doença contagiosa. Após o diagnóstico da FELV ele continuou isolado por 42 dias para que fosse efetivada a imunização dos outros gatos (todos foram vacinados com a quíntupla e tomaram a 2a dose 21 dias depois). Não houve muito preparo, apenas uma caixinha de areia, comida, água, alguns brinquedos (desnecessário porque qualquer tampa de caneta já é motivo de festa) e uma caminha para dormir (que ele não quase usa por que gosta de dormir sobre a tábua de passar roupa). Neste período ele ficou isolado na área de serviço do apartamento (pequeno banheiro, quarto e lavanderia).

A adaptação dele tem sido como a dos demais. No inicio houve uma certa briga por liderança (já que ele é o único que ainda não foi castrado) mas já estão convivendo bem. Brincam muito e Yuki já está se adaptando à rotina dos outros gatos. Como ele é o mais novo é muito ativo e adora brincar, então de uma maneira geral é mais energético que os demais. Pula em cima de tudo, adora derrubar coisas. Cuidar dele não é diferente de cuidar de um gato sem FELV, ele é bem saudável e ativo. O único cuidado é garantir uma boa alimentação e um bom ambiente para que ele não se sinta estressado.”

Yuki é um nome diferente, mas combina tanto com a carinha dele, qual o significado? “O nome foi escolhido pela minha filha, com base em uma gatinha branca de um desenho Japonês (quando ele chegou não sabíamos que era macho).  Yuki significa “neve” e “felicidade“. Quando descobrimos o sexo achamos que o nome combinava mesmo sendo macho, dai decidimos manter.”

E até aqui algum curiosidade? “Ele detesta que a gente faça carinho na barriga. Fica rosnando e resmungando. Achamos super divertido dai sempre fazemos só para ouvir os resmungos.”

Ao final, quando agradeci a Adriana por ter contado a história deles, ela respondeu algo que vale para todos os bichos, com ou sem necessidades especiais. “Somos muito apaixonados pelos nossos gatinhos, todos são parte da família e nos fazem muito felizes.” E é isso que importa.

 

 

*FELV – é como é conhecida a leucemia felina. Encontrei um conteúdo bem explicativo no site do Estadão sobre o assunto e vale a pena a leitura para conhecer mais a respeito. Clique aqui para ler > Leucemia Felina: o que você deve saber sobre essa doença

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s